Logo Estadão

Frentes parlamentares repudiam declaração de Eduardo Bolsonaro

Frentes parlamentares repudiam declaração de Eduardo Bolsonaro sobre coronavírus e China

Filho do presidente Jair Bolsonaro culpou o regime comunista chinês pela pandemia do novo coronavírus

BRASÍLIA – A Frente Parlamentar Brasil-China repudiou nesta quinta, 19, a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente, que culpou o regime comunista chinês pela pandemia do novo coronavírus. O episódio abriu uma crise diplomática entre os países, com inédita reação de diplomatas de Pequim.

A frente disse que Eduardo agiu “irresponsavelmente” ao tentar “imputar à nação chinesa a culpa pelo surgimento do novo coronavírus”. “Não cabe a um parlamentar alimentar teorias conspiratórias e, por conseguinte, colocar em xeque mais de 45 anos de amizade e parceria entre duas grandes nações que sempre se respeitaram”, diz nota assinada pelo presidente, deputado Fausto Pinato (SP).

Pinato cobrou que o governo brasileiro apure ameaças ao embaixador da China em Brasília, Yang Wanming. O diplomata relatou ter sofrido ameaças nas redes sociais e depois apagou a mensagem. “Tal imprudência, além de ser um atentado às nossas relações diplomáticas, ainda contribuíram para que o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, se tornasse alvos de ameaças em relação à sua segurança pessoal.”

A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) repudiou indiretamente as declarações de Eduardo, divulgando uma nota para citar a parceira entre os países. A China é a maior parceira comercial do agronegócio brasileiro.

“A Frente Parlamentar da Agropecuária, composta por quase 300 parlamentares do Congresso Nacional, deseja manter no mais alto nível as relações bilaterais entre Brasil e China, lembrando que declarações isoladas não representam o sentimento da nação ou de qualquer setor”, diz a nota assinada pelo presidente da bancada, deputado Alceu Moreira (MDB-RS). O texto não cita o deputado do PSL.

LIDE CHINA VÊ XENOFOBIA

Lide China, grupo de líderes empresariais criada em 2013 para fomentar parcerias sino-brasileiras, repudiou em nota as declarações. Em carta às principais autoridades chineses no Brasil (consulados e Embaixada), a entidade afirmou que a declaração foi “xenófoba, infundada e criminosa”.

“Em virtude do impacto do coronavírus (COVID-19) no mundo, o que precisamos agora é de união e, principalmente, solidariedade ao povo chinês, que está mostrando ao mundo de forma exemplar seu esforço hercúleo para vencer essa grande guerra contra a humanidade”, disse em nota.  A Lide China disse ainda que “em seu papel de plataforma de negócios sino-brasileira, não admite nem jamais admitirá o ataque incabível que denigre a honra e a imagem da nação chinesa”.]

PSL PEDE DESCULPAS

Partido de Eduardo, o PSL ressaltou que a China tem colaborado com o Brasil. “Dizer que a China foi omissa e escondeu da comunidade internacional tal hecatombe é, no mínimo, injusto. Em nome do povo brasileiro, o PSL pede desculpas ao Partido Comunista Chinês, ao governo e ao povo daquele país”, relatou o partido em nota assinada pelo presidente e deputado Luciano Bivar (PSL-PE).

Estado não conseguiu contato com o deputado. A embaixada chinesa disse que só vai se manifestar por nota e por meio das redes sociais.

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,frentes-parlamentares-repudiam-declaracao-de-eduardo-bolsonaro-sobre-coronavirus-e-china,70003239748


Posts relecionados

Ampla defesa não pode afetar a duração razoável do processo

É evidente a importância do princípio da ampla defesa que, sempre, sob qualquer...

Mourão descarta proposta de nova constituinte apresentada por líder do governo

"A Constituição foi promulgada após uma ditadura, e é uma Carta considerada uma...

Fale conosco

Endereço
Rua Wisard, 23 – Vila Madalena
São Paulo/SP
Contatos

(11) 3093 2021
(11) 974 013 478