Morre o professor José Manoel de Arruda Alvim

Morre o professor José Manoel de Arruda Alvim, aos 85 anos

Morreu na tarde desta quarta-feira (1º/9) o professor José Manoel de Arruda Alvim Netto, aos 85 anos. Bacharel, livre-docente, doutor e mestre em Direito pela PUC de São Paulo, foi professor titular de Direito Civil e coordenador da área de Direito Processual Civil da universidade.

O paulistano Arruda Alvim exerceu a advocacia até 1979, ano em que passou a integrar o Poder Judiciário, tendo se aposentado como desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo em 1984, além de ter sido juiz do 1º Tribunal de Alçada Civil de São Paulo.

Desde então, voltou a atuar como advogado e consultor jurídico em diversas áreas depois de fundar o escritório Arruda Alvim & Thereza Alvim Advocacia e Consultoria Jurídica, com sede em São Paulo. Também foi Procurador da Fazenda Nacional de São Paulo.

O professor possui inúmeros trabalhos publicados no Brasil e no exterior, em revistas especializadas, que versam sobre Direito Processual Civil, Direito Civil, Direito Tributário e Direito Constitucional, tendo vários volumes de obras publicadas, destacando-se seu “Manual de Direito Processual Civil” e “Código de Processo Civil Comentado”.

Repercussão

Ministro Humberto Martins, presidente do STJ
“É um homem não só de um conhecimento jurídico notável, mas um renomado professor e de grande conhecimento humanístico. Um homem notável, um homem ímpar com relação à sua conduta ética e profissional. Em nome do Tribunal da Cidadania, apresentamos sentimentos de pesar. Tenho certeza que combateu o bom combate e deixou o exemplo vivo em suas aulas e seus ensinamentos. Esses não perecem. Permanecem vivos hoje, amanhã e sempre.”

Herman Benjamin, ministro do STJ
“É autor de uma obra que foi ampliada para todos os cantos e recantes do Direito. Do Direito Público ao Direito Constitucional, até as profundezas do Direito Privado, nos temas mais difíceis. É uma perda muito grande para o Direito brasileiro, mas seus escritos e suas lições, e mais do que tudo, as boas lembranças que seus ex-alunos têm desta pessoa extraordinária, ficam. Isso não perece.

Marco Aurélio, ministro aposentado do STF
“Uma vida dedicada ao Direito. Mestre de tantos mestres. Deixou o exemplo.”

Alberto Zacharias Toron, criminalista
“O professor Arruda Alvim foi muito mais que um jurista, conhecia a alma humana como poucos. Homem de grande cultura e muito generoso. Deixa um grande buraco na nossa cultura jurídica. Descansa entre os justos!”

Paulo Alcides Amaral Salles, desembargador do TJ-SP
“Um processualista que deixou sua marca! Mais um grande personagem do mundo do Direito que se vai. Deixará saudades!!”

Otavio Luiz Rodrigues, professor da USP e conselheiro do CNMP
“O professor Arruda Alvim era um ícone do Direito Civil brasileiro. Um ser humano diferenciado, culto e muito generoso para com as novas gerações. Com seu desaparecimento, apaga-se uma luz no Direito Civil. Trabalhamos juntos no anteprojeto que deu origem ao Regime Jurídico Emergencial é Transitório de Direito Privado (RJET) e tive a oportunidade de aprender muito. Na Revista de Direito Civil Contemporâneo, publicamos uma entrevista muito especial, na qual expôs parte de de sua visão de mundo e do Direito.”

Nelson Wilians, advogado
“Há pessoas que deixam marcas profundas em nossa vida pessoal e profissional. Tive o prazer de estar muitas vezes nos últimos anos com o professor José Manoel Arruda Alvim, ou simplesmente professor Arruda Alvim. Um homem brilhante, reconhecido no meio jurídico nacional e internacional, que me inspirou profundamente. Hoje, morre uma parte da história do Direito brasileiro. Grande Mestre. Grande Amigo Arruda Alvim.”

Cecília Mello, advogada, ex-desembargadora do TRF-3
“O querido professor Arruda Alvim deixa inúmeros órfãos, como eu. Deixa porque, além de brilhante, era extremamente generoso no compartilhamento da sua sabedoria única e do seu afeto. Verdadeiramente um Mestre, que ensinou e iluminou, não infundindo as suas próprias verdades, mas contribuindo para o aperfeiçoamento das razões de cada um. O nosso maior jurista, o nosso grande amigo, nos deixou. O Mestre se vai, mas os seus ensinamentos permanecerão pela eternidade.”

Cristiano Zanin Martins, advogado
“É uma perda irreparável. Comecei na advocacia com o professor Arruda Alvim e pude dele receber lições valiosas para a minha carreira e para a minha vida. Um jurista completo, de uma cultura ímpar e que ao mesmo tempo sabia ouvir e dar atenção a todos.”

Revista Consultor Jurídico, 1 de setembro de 2021, 14h55

https://www.conjur.com.br/2021-set-01/morre-professor-jose-manoel-arruda-alvim


Posts relecionados

Não discriminação da origem da empresa aplicada aos casos de ágio

Na visão do Fisco, se os recursos empregados na aquisição vierem de empresa...

Logo Estadão
As mulheres, os robôs e os novos desafios da advocacia

Neste ano de 2020, segundo dados divulgados pela OAB, o número de mulheres...

Fale conosco

Endereço
Rua Wisard, 23 – Vila Madalena
São Paulo/SP
Contatos

(11) 3093 2021
(11) 974 013 478